No kderno found.
Do que é feita a estabilidade mundial?

Do que é feita a estabilidade mundial?

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

A Guerra da Ucrânia vem sendo ilustrativa da fragilidade da estabilidade internacional. Depois de décadas de estabilidade, a Europa volta a presenciar um conflito de grandes proporções, o que nos remete à necessidade de compreendermos o que é fundamental para a consolidação desta estabilidade. Neste curso, falaremos sobre alguns dos fatores que contribuem – ou atrapalham – a construção de um sistema internacional equilibrado e estável. Para isso, recorreremos às organizações internacionais, aos sistemas econômicos, ao medo das armas (e à coragem que elas podem oferecer) e, claro, às sanções econômicas. Afinal, quais desses elementos são indispensáveis para a construção da estabilidade mundial?
Aula 1 – Organizações Internacionais importam?
Não é de hoje que se discute o poder de as organizações internacionais construírem ambientes internacionais estáveis. Após a Primeira Guerra Mundial, a criação da Liga das Nações fracassou em impedir a repetição das cenas de destruição; mas o mundo, mesmo assim, construiu a ONU, empenhada em manter os estados em cooperação e diálogo. Nesta aula, abordaremos a construção da ordem internacional construída por estas organizações, com foco no sistema de paz e segurança nas Nações Unidas. Afinal, passa pela ONU a construção da estabilidade internacional?
Aula 2 – A geopolítica nas decisões econômicas
A economia é um dos fatores essenciais da ordem internacional. Os elementos materiais são basilares no processo decisório de todos os países do mundo, o que nos leva à necessidade de compreender como estes elementos se relacionam. Nesta aula, debateremos o impacto que a geopolítica exerce nas decisões econômicas e como estas podem contribuir – ou atrapalhar – a construção de um ambiente internacional estável.
Aula 3 – Poder militar e estabilidade: quanto mais, pior?
Desde que o mundo é mundo, países disputam acerca da capacidade de serem mais poderosos que os demais. E não é incomum que se chegue à ideia de que quanto maior o poderio militar os países, maiores as possibilidades de manutenção da paz. Por isso, esta aula será dedicada a analisar a distribuição de poder militar entre as principais potências mundiais no momento atual.
Aula 4 –Histórico e efetividade (ou não) das sanções econômicas

As sanções econômicas não são uma novidade no mundo atual: foram utilizadas diversas vezes, sobretudo desde o fim da Guerra Fria. Mas, afinal, as sanções funcionam? Nesta aula abordaremos as principais sanções econômicas impostas ao longo das últimas décadas, com um olhar atento para sua efetividade – ou inefetividade.
O dinheiro no século XXI: a economia do futuro e o poder do passado

O dinheiro no século XXI: a economia do futuro e o poder do passado

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

O dinheiro como conhecíamos no passado já mudou: usamos cada vez menos cédulas nas nossas transações cotidianas, e termos como pix e criptomoedas se consolidam no pensamento das pessoas. E a mudança está longe do fim. A economia segue mudando e o mundo muda juntamente com ela, o que impacta todas as relações humanas. Neste curso, abordaremos o impacto que as novas expressões econômicas trazem para a organização da sociedade, da produção e, claro, do poder. O mundo que veremos daqui para frente não permanecerá inerte diante das mudanças tecnológicas envolvendo o dinheiro. Para o bem ou para o mal.
Uma breve história do dinheiro: o sistema financeiro internacional desde o século XIX até o seu celular
O dinheiro é uma invenção social: um pedaço de papel pintado que tem valor porque acreditamos nele. Compreender a história desta construção é fundamental para que consigamos compreender as novas mudanças pelas quais o nosso dinheiro ainda vai passar. Nesta aula, falaremos sobre a evolução do sistema financeiro internacional desde o seu amadurecimento, no século XIX, até que ele se materialize na tela do seu celular.
Uma transformação real: robotização, inteligência artificial e a destruição criativa
A tecnologia disruptiva já não é mais tema de ficção científica e já se apresenta de forma bem real em nossas vidas. Nesta aula debateremos como as inovações tecnológicas impactam nossas vidas cotidianas de forma direta, com modificações aceleradas, contínuas e profundas. O trabalho da próxima geração ainda não foi criado e a atual geração de trabalhadores vai precisar se adaptar às revoluções tecnológicas de um futuro bastante próximo.
O mundo aqui dentro, o mundo lá fora: o difícil debate entre globalização e nacionalismo
A transformação das relações econômicas traz impactos incontornáveis para as relações políticas e sociais. Com isso, se intensifica um dos debates mais importantes do mundo contemporâneo, aquele que envolve nacionalistas e universalistas. Nesta aula, trataremos do fenômeno da globalização e no impacto que as mudanças econômicas e tecnológicas trazem para esta discussão.
Sustentabilidade, renda mínima e infraestrutura: uma economia diferente para um mundo novo
Como será a economia do século XXI? As mudanças atuais, tratadas neste curso, projetam o mundo que será vivenciado pelas próximas gerações, com o avanço acerca de temas vislumbrados hoje. A economia sustentável, os planos de construção de uma renda mínima universal, os investimentos em infraestrutura e a inclusão econômica e social de diferentes grupos sociais são alguns dos temas em pauta na construção de uma economia vigorosa e diversa ao longo das próximas décadas. Nesta aula, projetaremos algumas das transformações que vem sendo gestadas desde o presente momento.


A crise ucraniana e seus atores: um guia para a crise geopolítica

A crise ucraniana e seus atores: um guia para a crise geopolítica

📚 Ementa do curso (aula extra)

📚 Ementa do curso (aula extra)

A Ucrânia é, nesse momento, o centro nervoso da geopolítica global. E não mexe apenas com os países diretamente envolvidos na crise, como a Rússia. É um tabuleiro que atrai a atenção das grandes potências mundiais, como os EUA, os europeus – sobretudo a Alemanha – e a China.
Os Bálcãs ainda são o barril de pólvora da Europa? O mundo em uma península

Os Bálcãs ainda são o barril de pólvora da Europa?  O mundo em uma península

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

A península dos Bálcãs é uma região única no mundo. Sua história antiga e seu sectarismo característico direcionam cada parte daquela área para uma espiral de crises e tensões. E, se os últimos anos foram relativamente estáveis, há de se notar que a Sérvia vem alimentando seu nacionalismo histórico, o que costuma trazer transtornos para todo o entorno – e para além dele. Neste curso, abordaremos a história da Península Balcânica, com um olhar voltado para cada uma das partes que integrava a antiga Iugoslávia, de olho no potencial de crises para os próximos anos.
Sérvia: as pretensões expansionistas do núcleo da ex-Iugoslávia
A Sérvia possui um papel central na estabilidade – e instabilidade – dos Bálcãs. Há quase dois séculos, o nacionalismo sérvio é base para demandas políticas e territoriais, que desaguaram em momentos de tensão e guerra. Nesta aula, falaremos sobre a história e a atualidade da Sérvia, passando pelo seu papel de centralidade na ex-Iugoslávia e pela sua derrocada nos anos 1990.
Bósnia e Herzegovina: a busca por autonomia do país de maioria muçulmana
A Bósnia foi palco de alguns dos episódios mais violentos de todo o século XX, e este é o tema de nossa segunda aula. A Bósnia, país de maioria muçulmana dos Bálcãs, segue dividida entre bosniaks, sérvios e croatas, o que torna a interferência estrangeira um problema sempre presente na política nacional. Compreender a história da Bósnia nos permite compreender também os dilemas contemporâneos e a posição deste país no plano internacional.
Croácia e Eslovênia: a Europa Ocidental e os Bálcãs
Na terceira aula do curso, falaremos sobre Croácia e Eslovênia, dois países de maioria católica, localizados ao norte da Península Balcânica. Se a Eslovênia se destaca entre os demais países da ex-Iugoslávia pelo seu nível de desenvolvimento, a Croácia tem como uma de suas marcas a participação direta em eventos violentíssimos, como a atuação da Ustase, durante a Segunda Guerra Mundial, e os conflitos contra a Sérvia, nos anos 1990. Esta aula será a oportunidade para compreendermos o percurso destes dois países, que pertencem atualmente à União Europeia e à OTAN.
Kosovo, Macedônia do Norte e Montenegro: caminhos próprios, desafios particulares
Poucos países habitaram o imaginário internacional de forma tão intensa ao longo dos últimos 30 anos quanto o Kosovo. Esta aula será a oportunidade para compreendermos o que faz do Kosovo o palco de tamanhas tensões do passado e do presente – e será também o espaço para debatermos a posição da Macedônia do Norte, com sua mudança recente de nome, e de Montenegro.
Caminhar ou se estabacar em 2022? a economia política do próximo ano

Caminhar ou se estabacar em 2022? a economia política do próximo ano

📚 Ementa do curso (aula extra)

📚 Ementa do curso (aula extra)

O ano está chegando ao fim e tudo o que queremos é começar a pensar em nosso planejamento para 2022 e deixar 2021 para trás. Mas você não decide sozinho como vai ser o próximo ano: tem que combinar com o resto do mundo! E é esse mundo que vai dizer se a tendência é de caminhada ou de queda no próximo ano.
Um sultão no século XXI: Erdogan e a reconstrução do passado turco

Um sultão no século XXI: Erdogan e a reconstrução do passado turco

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

O presidente Recep Tayyip Erdogan, no poder há quase duas décadas, mudou a cara da Turquia – e não foi pouco. Ano após ano, Erdogan erodiu uma das heranças mais importantes da Turquia moderna, o kemalismo, para voltar ainda mais no tempo.
A Turquia moderna volta seus olhos para os tempos do Império Otomano, com fortes implicações para a política regional e para a relação entre poder e religião neste país tão importante para a Europa e para o Oriente Médio.
Neste curso, lançaremos um olhar para a recente trajetória turca, sua política externa e o peso que sua nova postura exerce sobre a geopolítica mundial.
Aula 1 - O nascimento da Turquia: da herança otomana ao estado modernoNesta primeira aula falaremos sobre os fundamentos da Turquia moderna. Para isso, abordaremos o ocaso do Império Otomano e a formação do estado moderno turco, com a consolidação da tradição kemalista. Desta forma, teremos a oportunidade de falar sobre a história da Turquia moderna, com sua política externa voltada para a OTAN e para o ocidente, em detrimento de sua bagagem muçulmana e médio-oriental.
Aula 2 - O sultão moderno: quem é Recep Tayyip Erdoğan?Erdoğan é uma figura que constrói a história turca diante dos nossos olhos. Para compreender sua trajetória, nada melhor do que analisar o aspecto humano de seu governo. Nesta aula, abordaremos a trajetória pessoal de Erdoğan, com sua formação política, ascensão ao poder e governo. Suas crenças políticas e religiosas nos ajudam a compreender a Turquia neo-otomana conduzida pelo seu presidente, com intensos impactos regionais e internacionais.
Aula 3 - Erdoğan e os temas sensíveis: armênios, curdos e grupos religiososA história turca teima em não morrer. E não é para menos: o genocídio armênio e as relações difíceis com os curdos são alguns dos temas que se mantem como prioritários na política turca. Nesta aula, falaremos sobre aos temas que incomodam o governo do país e aqueles em que a controvérsia se mantém, como o relacionamento com grupos religiosos espalhados por todo o Oriente Médio, como os rebeldes na Síria ou a Irmandade Muçulmana.
Aula 4 - O lugar da Turquia no mundo: com quem fala, com quem negocia?Para fechar o curso, falaremos sobre as relações externas da Turquia. Com quem a Turquia dialoga no plano internacional? Que países são aliados, quem são seus parceiros comerciais, quem que depende a Turquia. Compreender a rede de parcerias turcas nos permite compreender quem realmente importa para o país.
Quem tem medo de Vladimir Putin?

Quem tem medo de Vladimir Putin?

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

Vladimir Putin é um personagem incontornável para a política internacional. É comum que o sentimento diante do líder russo seja, ao mesmo tempo, de admiração e de temor, e ele faz bom uso destes sentimentos.
Sob seu longo governo, a Rússia mudou sua posição no cenário internacional, recobrando uma influência perdida ao longo dos anos 1990.
Este curso tem como enfoque a busca pela compreensão da Rússia contemporânea, que tem a marca de Vladimir Putin. Ao longo de 4 aulas, analisaremos como a Rússia chegou ao ponto atual, em que volta a ser temida. Como Putin queria.
Aula 1 - Rússia: Do gigantismo dos czares a potência soviética
Nesta primeira aula, faremos um sobrevoo pela história russa, contextualizando a transição de uma Rússia temida pelo mundo, sob a liderança dos czares, para uma superpotência da Guerra Fria, com participação decisiva na Segunda Guerra Mundial (ou Grande Guerra Patriótica) e nos rumos da política e da economia mundiais.
Aula 2 - A Rússia pós-Soviética: as crises de um gigante adormecido
Os anos 1990 não foram fáceis para a Rússia. A transição para uma economia de mercado e a queda do aparato soviético lançaram o país em uma profunda necessidade de reconfiguração de suas prioridades e relações, tendo como desafio até a mais básica das tarefas: manter a unidade territorial. Nesta aula, falaremos sobre as crises internas pelas quais passou a Rússia e a incessante busca pela sua própria reconstrução.
Aula 3 - O homem à frente da máquina: quem é Vladimir Putin
A história da Rússia contemporânea se confunde com a de seu líder, Vladimir Putin. Nesta aula, falaremos sobre sua trajetória e vida política, até que ele se tornasse um desacreditado primeiro-ministro em 1999; e seguiremos com sua carreira até se tornar um dos presidentes mais importantes, temidos e argutos de todo o mundo. Com ele, teremos a oportunidade de debater a própria formação da Rússia contemporânea.
Aula 4 - O mundo que a Rússia quer: relações diplomáticas e cenário econômico
Na aula de fechamento do curso, discutiremos o projeto político que a Rússia espera para o mundo. Teremos a oportunidade de comentar sobre o uso de hackers, a interferência em eleições mundo afora, o relacionamento com as principais potências mundiais, as relações com o Talibã e o cenário econômico russo, com seus desafios e soluções.
Uma Europa sem Merkel

Uma Europa sem Merkel

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

As eleições alemãs de 2021 tendem a trazer mudanças importantes no cenário político do país, com a saída de cena de Angela Merkel. Mas não se pode imaginar em um impacto na Alemanha que não se torne também um impacto sobre o próprio projeto da União Europeia.
Se a integração da Europa foi fundamental para a manutenção da estabilidade política no continente, muito se deveu à disposição alemã em lidar com os percalços que foram encontrados no caminho – e foram muitos. As mudanças na Alemanha tendem a trazer mais um desafio para a liderança do país e para a continuidade do projeto europeu.
Neste curso, discutiremos o papel político e econômico exercido pela Alemanha, tendo Angela Merkel como fio condutor de nossa narrativa.
Aula 1 - As dores do crescimento alemão: da grandeza do Kaiser à partição territorial (1871-1990)
A Alemanha já nasceu potência. Desde sua unificação, em 1871, o país se projeta como um projeto político grande demais para o continente europeu e, portanto, uma força a ser detida. Nesta aula, abordaremos as primeiras décadas de existência da Alemanha moderna, iniciando com o poder do Kaiser Guilherme II e a batuta de Otto Von Bismarck, seguindo até sua derrocada após duas Guerras Mundiais e sua partilha territorial. As marcas deixadas pelas derrotas nas guerras e a tragédia do nazismo serão abordadas como caminho para a construção da Alemanha contemporânea.
Aula 2 - Os sonhos da Alemanha reunificada: três décadas de liderança europeia (1990-2021)
A reunificação alemã é um marco para o mundo: a Alemanha retoma um grau de autonomia e extensão territorial há muito perdidas, o que traz para a Europa uma liderança renovada e aguerrida. Nesta aula, falaremos sobre o cenário encontrado pela Alemanha do pós-Guerra Fria, com seus marcos mais fundamentais na construção da União Europeia, bem como sua postura diante dos diversos problemas mundiais deste período.
Aula 3 - A mulher mais poderosa do mundo: quem é Angela Merkel?
Angela Merkel deixa um legado para a Alemanha, por sua forma de governar e liderança que exerceu à frente do país e da União Europeia. Nesta aula, abordaremos sua trajetória pessoal e política, com a chance de fazermos um balanço sobre seu governo, com acertos e erros, sucessos e frustrações.
Aula 4 - O lugar da Alemanha no mundo: relações diplomáticas e laços econômicos
Para fechar o curso, o debate dará foco à política externa e internacional da Alemanha. Para tal, dissecaremos as relações mais importantes do país, tanto entre suas parcerias mais importantes quanto entre países como Rússia e China; além da posição alemã acerca dos grandes temas internacionais – e seu impacto sobre a ordem internacional.
O Mercosul faz 30 anos: a crise existencial e o seu lugar no mundo

O Mercosul faz 30 anos: a crise existencial e o seu lugar no mundo

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

O Mercosul foi, ao longo dos últimos 30 anos, um dos mais importantes projetos da política externa brasileira. A criação do bloco, em 1991, representou uma nova página na história do Brasil, com importante renovação política e econômica, em contraste com as décadas anteriores.
O projeto idealista, inspirado no projeto de integração da Europa, passava pela construção de uma inserção internacional conjunta de seus quatro membros: Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Mas o tempo passou e a comunhão entre os países do bloco começou a falhar.
O foco deste curso é fazer um balanço dos caminhos e descaminhos do Mercosul até aqui – projetando para onde vai o bloco em seu momento mais delicado. E se o Mercosul balança, o próprio Brasil repensar seu lugar no mundo.
Aula 1 - O pré-Mercosul: os membros antes da criação do bloco
A criação do Mercosul, em 1991, teve como uma de suas marcas a construção de soluções para problemas comuns. Mas... que problemas? Nessa aula, vamos oferecer uma contextualização de como Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai se encontravam no momento de criação do Mercosul, cada qual com seus desafios domésticos e internacionais – compartilhados ou não com os demais.
Aula 2 - O Mercosul como projeto político
O Mercosul foi projetado para funcionar como elo de articulação entre os seus membros – e de seus membros no mundo. O sucesso do bloco passa, portanto, pela existência de um projeto compartilhado, o que se verificou, notavelmente, por mais de duas décadas. Nesta aula, falaremos sobre a trajetória política do bloco, com as relações entre os membros, e sobre o contato do Mercosul com o restante do mundo.
Aula 3- Valeu a pena? Um balanço econômico e comercial da integração
Muito se fala sobre a ineficiência de determinadas práticas econômicas e comerciais do Mercosul. Mas, no fim das contas, valeu a pena criar esta integração? Na terceira aula do curso, vamos fazer um balanço dos resultados políticos e econômicos do Mercosul para seus membros e a forma pela qual o bloco contribuiu para sua inserção internacional.
Aula 4 - E agora? O Mercosul e a crise dos 30 anos
No ano em que o Mercosul completa 30 anos, todos estão insatisfeitos. Nesta aula, abordaremos a trajetória recente de acontecimentos nos membros do Mercosul – e entre eles – para desvendar as raízes de tanto descontentamento e traçar os prognósticos para o bloco daqui pra frente. O Mercosul vai chegar os 40?
América do Sul em transformação

América do Sul em transformação

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

O cenário político da América do Sul passa por um momento de intensas mudanças em diversos países. Temos presenciado no entorno do Brasil eleições marcantes, grandes manifestações e diferentes formas de os países lidarem com seus passados.
Neste novo curso do Petit Journal, os professores Tanguy Baghdadi e Daniel Sousa vão falar sobre o momento vivido por quatro países que vem passando por mudanças significativas em suas histórias: a Colômbia, ainda às voltas com um conflito civil dos mais longo do mundo todo; a Bolívia, com suas intensas mudanças políticas, econômicas e sociais; o Chile, com a busca pela formulação de uma nova constituição, que supere a da era pinochetista; e o Peru, com suas crises políticas permanentes.
Compreender o que se passa em nosso entorno é, enfim, conhecer um pouco mais sobre o próprio Brasil.
Aula 1 - A Colômbia entre a guerra civil e as reformas econômicas
O conflito civil colombiano é um dos mais conhecidos e longos de todo o mundo e já data de décadas e décadas. O caráter mutante do conflito o leva a atingir praticamente toda a população do país, direta ou indiretamente, o que torna o debate sobre o acordo de paz ainda vivo e controverso. E, em meio a este cenário complexo, o país vive grandes manifestações, com fundamentos econômicos e sociais. Nesta aula, abordaremos as bases históricas colombianas e o atual cenário encontrado no país.
Aula 2 - Os contrastes da Bolívia do século XXI
A Bolívia é um dos países de maior crescimento econômicos no continente americano, ao longo dos últimos 15 anos, ao mesmo tempo em que segue sendo um dos mais pobres. Compreender a realidade boliviana passa por estudar suas condições políticas e sociais, conjuntura que criou lideranças como as de Evo Morales e Luis Arce, que geram, por sua vez, grandes resistências sobre outros setores da sociedade, com grupos conservadores e religiosos na liderança. Esta aula vai abordar a realidade contemporânea da Bolívia, com as perspectivas políticas e econômicas de médio e longo prazo.
Aula 3 - O Chile e a superação da era pinochetista
O Chile, tradicionalmente visto como um símbolo de estabilidade na sempre confusa América Latina, viveu momentos de tensão em 2019, com enormes manifestações, que conduziram o país a convocar uma Assembleia Constituinte. O objetivo é substituir a constituição vigente, desenhada pelo governo do ditador Augusto Pinochet, o que diz muito sobre os desafios e feridas deste país. Nesta aula, abordaremos o humor dos chilenos diante deste cenário de profundas mudanças no país, com seus desdobramentos políticos e econômicos.
Aula 4 - A saga peruana: novos nomes, velhos desafios
O Peru é um país de história recente sui generis na região: ao mesmo tempo em que teve uma quantidade enorme de presidentes presos e cinco presidentes em um único mandato presidencial, possui uma economia notavelmente estável em comparação ao restante da região. Nesta aula, falaremos sobre o Peru contemporâneo, com seus velhos desafios políticos, com espaço para falarmos sobre o mandato presidencial que se inicia.
A Índia e seu lugar no futuro: de potência periférica a potência mundial

A Índia e seu lugar no futuro: de potência periférica a potência mundial

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

O país que possui a segunda maior população da Terra é um desafio ao entendimento. Democracia de escalas inatingíveis, população pobre e potência tecnológica, o percurso histórico indiano é absolutamente particular.
O país que exerce um papel histórico de liderança do mundo periférico ainda se divide entre os desafios de um país em desenvolvimento, enquanto se lança a ambiciosos projetos tecnológicos. Em meio a um mundo crescentemente asiático, o país se destaca como uma liderança política, econômica e inovativa de estatura mundial.
O curso tem por objetivo sobrevoar a história indiana até o momento atual, com foco na sua política contemporânea e seu lugar no século XXI. Olhar para a Índia é olhar para o futuro.
Aula 1 - De país dos Marajás a potência mundial
Muito antes de ser uma colônia britânica, a Índia já era um país importantíssimo para a história global, com sua grande população, diversidade religiosa e cultural e relevância econômica. Nesta aula, abordaremos a construção da Índia contemporânea, com as passagens mais importantes de sua história e o caminho até o momento atual, em que o país reclama um lugar de destaque no século XXI.
Aula 2 - A Índia e suas fronteiras: entre a influência e o atrito
A Índia é uma potência de estatura mundial, o que começa a ser construído pela sua própri vizinhança. E, entre seus vizinhos, o país possui relações com características diversas. Com alguns, a relação é de influência, com uma posição de poder; com outros, a relação é tensa e justifica a manutenção da Índia em uma posição de potência militar. Nesta aula, desenvolveremos as relações indianas com países como Paquistão, China, Bangladesh, Nepal, Butão e Sri Lanka.
Aula 3 - A Índia e a periferia do mundo: um caso histórico de liderança
Em meio à Guerra Fria, o dogma consolidado era o de que todos deveriam escolher uma das duas superpotências: EUA ou URSS. A Índia foi um dos países a romper com essa lógica, liderando uma extensa gama de países não alinhados, que passam a se intitular “terceiro mundistas”. A tradição indiana de liderança periférica se mantém até hoje, com uma relação intensa diante dos países periféricos. Nesta aula, mostraremos a relação entre o país e os países periféricos, com a Índia exercendo sua liderança histórica e inquestionável.
Aula 4 - A Índia e o mundo: relações com EUA, Europa e o futuro
Como ator crucial para a política mundial, é crucial que se examine atentamente o relacionamento entre a Índia e as principais potências ocidentais. Esta aula oferecerá ainda oportunidade para examinarmos o papel da Índia no futuro, com perspectivas econômicas, políticas, culturais e populacionais.
A imunização do mundo: uma economia política da vacinação

A imunização do mundo: uma economia política da vacinação

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

Nenhum tema possui relevância tão grande para o mundo atual quanto a vacinação. A origem das vacinas traz consequências geopolíticas relevantes para o futuro e transferência de recursos para aqueles que a produzem. Da mesma forma, quem vacina sua população, estanca a pandemia e sonha com a volta da normalidade.
O novo curso do Petit Journal apresenta as conexões políticas, econômicas e sociais do atual estágio da pandemia: a vacinação, com todas as suas consequências para o mundo contemporâneo.
Aula 1 - Vacinas: quem produz e onde produz? As potências tradicionais
A primeira aula do curso tem por objetivo discutir o caminho percorrido pela vacinação das potências tecnológicas tradicionais: Estados Unidos, Rússia e Europa. Debateremos a estratégia de cada um desses atores no desenvolvimento da vacina e a disputa pelo mercado mais aquecido do mundo neste momento. Com isso, teremos a oportunidade de debater a mudança de estratégia norte-americana, a criação da Sputnik V russa e as disputas entre União Europeia e Reino Unido em torno da transferência de vacinas.
Aula 2 - Vacinas: quem produz e onde produz? As potências emergentes
China e Índia se tornaram potências científicas de alto padrão nas últimas décadas, o que vem trazendo frutos no momento em que a produção de vacinas é um tema decisivo para o mundo todo. Nesta aula, abordaremos o caminho destes dois países na produção das vacinas, o que nos dará a oportunidade de falarmos sobre o Brasil, que conta com Fiocruz e Butantã na produção de vacinas brasileiras. A participação crescente dos países emergentes no processo de vacinação é um dos temas essenciais para o mundo contemporâneo.
Aula 3 - Saúde Global e Organizações Internacionais
Mais de cem países do mundo sequer iniciaram a vacinação para imunizar sua população contra o novo coronavírus. Alguns, por estratégia; outros, por falta de acesso aos insumos fundamentais para a produção das vacinas. Nesta aula, falaremos sobre o contexto global da distribuição de vacinas e o papel das organizações internacionais na promoção de uma saúde global. Aqui, o objetivo será olhar não mais para países específicos, mas para o quadro geral da saúde mundial, em tempos de pandemia.
Aula 4 - Uma crise como outra qualquer? A economia e a COVID
Guerras Mundiais, Crise de 1929, Choques do Petróleo, Crise Financeira de 2008. Todas abalaram profundamente a economia mundial e trouxeram consequências políticas importantes, com a construção de instituições, alianças, grupos e novas regras, que determinaram o rumo dos anos subsequentes. A crise econômica causada pela Covid encontra paralelo nestes momentos de crises anteriores? Nesta aula, contextualizaremos a crise econômica causada pela Covid-19 diante das crises vividas pela economia internacional desde o início do século passado.
O mundo mudou e fomos atropelados

O mundo mudou e fomos atropelados

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

Você está lendo este texto por alguma via digital e, provavelmente, chegou nele pelo poder de algum algoritmo. Todos os dias somos impactados pelas inovações que mudam nossas relações com a sociedade, o consumo, as informações e até o nosso voto.
O novo curso do Petit Journal explora as mudanças estruturais causadas pelas inovações tecnológicas dos últimos anos. Abordaremos temáticas como a economia verde, a mudança dos padrões de consumo e comunicação, os impactos geopolíticos – com os novos polos inovadores na Ásia – e dois estudos de caso: a Itália, com a construção de uma nova forma de fazer política, e o Brasil, com sua aplicação prática.

Aula 1 - Tecnologias e novos padrões de consumo
Alguns anos atrás, o consumo era baseado em propaganda tradicional, de massa, por meio de televisão, jornais impressos ou outdoors, e pessoas indo até o comércio para comprarem aquilo que as interessava. Esse mundo evaporou ao longo dos últimos anos e deixou de existir com a pandemia do novo coronavírus. A tecnologia impacta de maneira frontal o consumo e traz novos temas: temos mais informações acerca de quem produziu e como produziu. Temas como tecnologia verde, sustentabilidade e escolhas políticas não são mais variáveis neutras na escolha dos consumidores. Nesta aula, abordaremos os impactos políticos e econômicos desta mudança nos padrões de consumo.
Aula 2 - De onde vem a inovação? A nova geopolítica da tecnologia
Ser um país inovador é sinônimo de ser uma potência. Nos últimos três séculos, testemunhamos as grandes inovações da humanidade serem produzidas nas grandes economias mundiais, notadamente no Reino Unido e, posteriormente, nos Estados Unidos. Hoje, os principais polos de inovação surgem na Ásia, o que muda a geopolítica tecnológica e a economia mundial. Nesta aula, falaremos sobre o novo momento da inovação, com uma visão global sobre o tema, traçando cenários sobre o que o futuro próximo nos reserva.
Aula 3 - Tecnologia e democracia direta: o vírus italiano
A tecnologia mudou para sempre a relação entre os cidadãos e as urnas. Se tais mudanças são inevitáveis, a versão mais radical desta transformação veio da Itália, com a implementação de estratégias políticas decisivas para o convencimento dos eleitores a votarem de formas específicas. E o impacto não ficou somente na Itália: o modelo italiano se espalhou pelas democracias ao redor do mundo, legando uma política mais polarizada e influenciada pelas redes sociais. Nesta aula, mostraremos como as estratégias políticas italianas mudaram o próprio funcionamento das democracias.
Aula 4 - A polêmica como estratégia: o caso brasileiro
As eleições brasileiras de 2018 são um estudo de caso à parte. A política brasileira desde então conjuga impactos diversos, como as lições vindas da Itália, influências oriundas das eleições norte-americanas de 2016, além da própria dinâmica das redes sociais brasileiras desde as manifestações de 2013. Nesta aula, abordaremos o estado da democracia no Brasil, com sua polarização e polêmica constantes, e o impacto deste cenário na imagem internacional do Brasil.
Utopias e realidades do Grande Oriente Médio

Utopias e realidades do Grande Oriente Médio

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

O ano virou e o Petit Journal dá início a uma nova temporada de cursos. E, para isso, voltamos ao Oriente Médio, inesgotável em sua complexidade. Agora, vamos para uma visão mais ampla da região, com países e regiões que pertencem ao Grande Oriente Médio.
Nesse curso, abordaremos alguns dos temas mais importantes para a geopolítica mundial, com a participação de grandes potências mundiais e com impactos históricos inegáveis. Vamos a eles!
Aula 1 - Curdistão: a última utopia das relações internacionais
Os curdos são o maior grupo étnico sem um estado do mundo, com um grupo populacional estimado em 30 milhões de pessoas. Esse grupo se estende por quatro países do Oriente Médio, e traz impactos diferentes para cada um deles: Turquia, Síria, Iraque e Irã. A busca pela criação de um Curdistão envolve não apenas atritos com os países por onde se espalham os curdos, mas também a luta contra o Estado Islâmico, um dos grandes desafios dos últimos anos. Nesta aula, falaremos sobre a história da luta pela criação do Curdistão e seu momento atual.
Auçla 2 - Egito: o gigante do mundo árabe
O Egito é o país de maior população árabe no mundo e, historicamente, se posiciona como uma das principais lideranças políticas árabes na política regional. A influência cultural e até mesmo linguística do Egito se materializou, historicamente, com figuras como a de Gamal Abdel Nasser, em uma sequência de eventos que levou a conflitos contra Israel, com a perda de territórios, acordo de paz com seu grande inimigo, ostracismo diante de seus tradicionais aliados e fortes impactos da Primavera Árabe. A complexidade do posicionamento egípcio diante do mundo será abordada nesta aula.
Aula 3 - Não invada o Afeganistão!
O Afeganistão faz parte do imaginário mundial há décadas. Se esteve muito em voga em 2001, quando foi o primeiro país invadido pela campanha de Guerra ao Terror de George W. Bush, após os atentados de 11 de setembro, a fama afegã é mais antiga. Invadir o Afeganistão foi a chave para o fracasso de alguns dos grandes impérios da atualidade. Esta aula vai abordar história recente deste país, passando pela ascensão e queda do Talibã, assim como as negociações de paz atuais.
Aula 4 - Líbia e o inverno árabe
A Primavera Árabe foi vista, entre os anos de 2010 e 2011, como um sopro de esperança para os países árabes, maltratados por décadas de ditaduras. A Líbia era um símbolo, visto que o presidente do país, Muammar Kadaffi, estava no poder há mais de 40 anos. Em meio às instabilidades do período, potências ocidentais intervieram no país, o presidente foi morte e, desde então, o país vem passando por uma interminável guerra civil. Em meio ao caos, a participação cada vez mais ativa de potências, como Rússia, França e Turquia, que fazem do enorme litoral líbio um tema fundamental para a geopolítica energética.
A erosão da democracia liberal

A erosão da democracia liberal

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

As democracias liberais se espalharam após a Guerra Fria, como em nenhum outro momento da história. Com variações entre os modelos, países ao redor do mundo passaram por consolidações democráticas, que criaram um padrão de democracias, aceitas internacionalmente. Mas os últimos anos nos mostraram a ascensão de diferentes questionamentos às democracias liberais. Mesmo países que seguem democráticos não estão imunes aos debates acerca das bases nas quais se assentam as democracias.
Boris Johnson: democracia liberal e nacionalismo

O Reino Unido é uma das referências democráticas do mundo, com sua monarquia constitucional em funcionamento há séculos. A despeito disso, há desafios que se impõem ao modelo democrático liberal, com o processo de aprovação do Brexit. O governo de Boris Johnson representa uma combinação pouco usual desde o fim da Guerra Fria, entre democracias liberais e inserções internacionais nacionalistas. De lá para cá, outros países enveredaram por caminhos similares, o que torna o modelo britânico rico para a construção deste debate.
O czarismo moderno de Putin
Putin está no poder há 21 anos e pode permanecer à frente do maior mais do mundo até 2036, caso seus planos se concretizem. E, contrariando o estereótipo da perpetuação de um líder impopular, Putin segue bastante querido pelos russos. Nesta aula, teremos a oportunidade para debater os caminhos do presidente para sua perpetuação no poder, as bases de sua popularidade e a relação entre o cenário doméstico e a influência russa sobre o mundo, mesmo em condições econômicas adversas.
Turquia e Hungria: democracias iliberais
Turquia e Hungria possuem regimes legitimados pelo voto, mas com expansões dos poderes de seus governantes. Tanto Recep Tayyip Erdogan quanto Viktor Orbán vem ampliando sua capacidade de modificar as estruturas de suas democracias, ambos em choques com os padrões desejados pela União Europeia. Nesta aula, debateremos o passado recente destes países e as bases nas quais os mandatários se fortalecem às custas dos demais poderes, com motivações e consequências econômicas.
Venezuela: tradição democrática e Nicolás Maduro
A Venezuela foi uma ilha de estabilidade democrática, enquanto o restante da América Latina testemunhava a proliferação de ditaduras militares. Ao longo dos últimos anos, no entanto, a Venezuela passou a ser apontada como um exemplo de deturpação democrática, em contraposição ao restante da região. Esta aula terá por objetivo debater o processo de consolidação do chavismo e sobre o discurso de uma democracia em bases populares e não-liberais. A aula aborda o histórico recente do país, suas condições econômicas e a transição e diferenças de estilo entre Hugo Chávez e Nicolás Maduro. A existência de dois sistemas legislativos e dois presidentes mostra o quão complexo e interessante é o cenário venezuelano.
China: ascensão, poder e afirmação

China: ascensão, poder e afirmação

📚Ementa do curso

📚Ementa do curso

A China é um tema incontornável para a política internacional contemporânea. Se tudo o que envolve o país vem em superlativos, o mesmo acontece quando olhamos para o impacto de suas ações no plano internacional.
Este curso tem por objetivo desvendar o percurso da China dos últimos 40 anos, com suas profundas mudanças econômicas, políticas e sociais, que alteram o eixo de poder mundial. O país, que disputa espaço com a grande potência do nosso tempo, os Estados Unidos, merece atenção diante de seus movimentos domésticos, regionais e internacionais.
China: de país agrário a potência mundial
A China passou por uma revolução em 1949 e vem passando por outra, mais progressiva, nos últimos 40 anos. Deng Xiaoping instituiu mudanças que criaram condições para que a o país se tornasse a segunda maior economia do mundo em poucas décadas. O destaque internacional assumido pela China permite novas e constantes mudanças. A mais recente ainda está em curso e vem sendo promovida por Xi Jinping, no poder desde 2013, com a promoção de uma política externa mais assertiva e, de fato internacional, o que muda a visão que o mundo tem sobre a potência asiática.
A China e suas fronteiras: Japão, Índia, Hong Kong, Coreias e Tibet
A China, que possui o terceiro maior território do mundo, conta com 22 mil km de fronteira, com 14 países. Diversas dessas fronteiras são instáveis e afetam a relação entre o país e seus vizinhos. Nesta aula, falaremos sobre a relação entre a China e países com Índia, Coreias e Japão, além de tratarmos de questões importantes para o país, como Tibet, Xinjiang e Hong Kong.
A China e a periferia do mundo: África, América Latina e BRICS
Antes de se consolidar como uma das grandes potências mundiais, a China alimentou relações sólidas com países emergentes. Nesta aula, abordaremos a relação entre a China e países africanos, latino-americanos e os membros dos BRICS, o que nos dará oportunidade para abordarmos a relação entre a potência asiática e o Brasil.
A China e o mundo: EUA, Europa e futuro
A China de Xi Jinping partiu para uma disputa global com os Estados Unidos, em diversas áreas. Na economia, no comércio, no multilateralismo, na tecnologia e na infraestrutura, Pequim dá demonstrações de que deseja superar sua posição de coadjuvante e passar a ser uma potência incontornável no plano internacional. Esta aula aborda as relações chinesas com os Estados Unidos, a Europa e as instâncias multilaterais.
Estados Unidos: manutenção do poder em um mundo

Estados Unidos: manutenção do poder em um mundo

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

As eleições de 2020 nos Estados Unidos são um divisor de águas. O modelo de administração de Donald Trump não encontra paralelos na história da política americana, nem mesmo entre presidentes republicanos. A reeleição do presidente consolida a tendência de mudança do perfil político americano, com impactos sobre a sociedade norte-americana e inserção do país no mundo. A derrota de Trump levaria ao poder Joe Biden, alinhado com grupos tradicionais do poder americano. Este curso tem por objetivo traçar o momento dos Estados Unidos diante desta eleição tão decisiva, com a apresentação do perfil político e econômico do país, e os reflexos do atual cenário para a política externa norte-americana.
Os EUA do século XXI: os desafios de uma potência global
O Século XXI começou com os atentados terroristas mais importantes da história e com o início de uma longa campanha militar dos Estados Unidos no Iraque e no Afeganistão. Em meio a isso tudo, uma gravíssima crise econômica em 2008 afetou a longeva liderança mundial exercida pelos Estados Unidos, em um cenário crucial para a ascensão de Donald Trump à presidência. Nesta primeira aula, debateremos o cenário encontrado pelos Estados Unidos ao longo dos últimos 20 anos em sua economia e em sua política externa, como forma de compreender os desafios enfrentados pela maior potência mundial.
Money talks: a economia dos Estados Unidos em um mundo em transição
A China, que possui o terceiro maior território do mundo, conta com 22 mil km de fronteira, com 14 países. Diversas dessas fronteiras são instáveis e afetam a relação entre o país e seus vizinhos. Nesta aula, falaremos sobre a relação entre a China e países com Índia, Coreias e Japão, além de tratarmos de questões importantes para o país, como Tibet, Xinjiang e Hong Kong.
Friends and foes: os aliados, os rivais, os inimigos
Como grande potência mundial, os Estados Unidos possuem uma complexa malha de alianças e rivalidades em todas as partes do mundo. Nesta aula, mapearemos os aliados, os rivais e os inimigos dos Estados Unidos, bem como os motivos e os cenários de mudança e anacronismo atuais.
America First – O que está em jogo nas eleições de 2020
Esta aula acontece uma semana antes das eleições presidenciais americanas e dá a oportunidade para analisarmos o que se encontra em jogo nos Estados Unidos, em um dos pleitos mais decisivos das últimas décadas. Esta eleição determina o modelo de inserção dos Estados Unidos no mundo, sua relação com as organizações internacionais e sua forma de lidar com os principais desafios do país. Abordaremos as premissas econômicas e políticas dos dois candidatos e os prognósticos do colégio eleitoral norte-americano.
Oriente Médio Hoje: Política, Economia e Cultura

Oriente Médio Hoje: Política, Economia e Cultura

📚 Ementa do curso

📚 Ementa do curso

O Oriente Médio é um tema permanente nas análises e no noticiário internacional. Temos a região, sempre, como uma referência em termos políticos, culturais e religiosos e corremos o risco de perdermos de vista a complexidade da região. Cada um dos países apresenta particularidades domésticas, com histórias e relações internacionais singulares.
Neste curso, os professores Tanguy Baghdadi e Daniel Sousa debaterão a realidade de alguns dos países do Oriente Médio, com questões nacionais, culturais, históricas, econômicas e religiosas, com consequências locais e globais.
Líbano: crise institucional e desafios econômicos
O Líbano completou 100 anos em 2020 e vive um dilema: por décadas, foi um símbolo de estabilidade no Oriente Médio, ao mesmo tempo em que era percebido como um barril de pólvora. Não por acaso, um dos conflitos mais marcantes da história libanesa foi a Guerra Civil, que durou de 1975 a 1990. Nesta aula, abordaremos a história recente do país, com o desmoronamento de sua aparente estabilidade política, com um olhar para as tensões sectárias, as crises econômicas e os impactos regionais de sua política doméstica.

Uma nova Arábia Saudita?
Não é exagero dizer que a Arábia Saudita é um dos países mais conservadores de todo o mundo. Por isso, é necessário compreender em que bases se assenta a reconfiguração da imagem saudita para o mundo contemporâneo, com a Visão 2030, do Príncipe Regente Mohammed Bin Salman. Afinal, as reformas econômicas e políticas propostas pelo jovem príncipe significam mesmo um país modernizado?
O Irã e os conflitos do Oriente Médio
O Irã é um dos gigantes da política médio-oriental: sua importância geopolítica reflete o tamanho do seu território e sua importância econômica dialoga com o tamanho de suas reservas energéticas. E, para além disso, o país é um inimigo declarado dos Estados Unidos, com pretensões nucleares e enorme influência nos principais tabuleiros do Oriente Médio. A análise da posição internacional do Irã é o tema desta aula.
Israel, Palestina e o conflito sem fim
O conflito entre Israel e Palestina é um dos mais conhecidos, influentes e longevos do mundo contemporâneo. Neste encontro, abordaremos as principais variáveis desta relação, com um olhar para as sociedades diretamente envolvidas na questão, sua dimensão econômica e a influência internacional deste embate. Além disso, esta aula pretende atualizar o tema, com uma visão acerca do panorama contemporâneo, tão influenciado pelo governo norte-americano de Donald J. Trump.